quinta-feira, 28 de maio de 2009

A volta...

Depois de 15 dias de paz interior (eu e meu nariz, meu nariz e eu!), estou de volta ao meu inferno particular:
7:59 – Estou à caminho do prédio onde teoricamente trabalho (depois discutirei a palavra trabalho e seu sentido filosófico!), e encontro quem?? Quem??? Siiiimmm!!! Elaaaa!! A Querosenezinha... e, como passei 15 dias meditando e pensando que as atitudes dos outros são reflexos de minhas atitudes, lendo sobre PNL, títulos como “Qualidade começa em mim” e “Como trabalhar para um idiota”, resolvi ser mais coerente, mais simpática, usar todo meu charme e graça para conseguir melhores resultados interpessoais...
E parei, esperei ela chegar perto, e disse: “Bom dia!! Tudo bom?”
E ela, com aquela cara de quem come cocô diariamente no café da manhã: “Sim! E você, melhorou?”
E eu, pensando que dali ia sair um diálogo, achando que minhas leituras renderam frutos: “Estou!! Ainda está um pouco blá blá blá...” e, neste momento, percebi que estava sozinha, pois, PASMEM!, ela tinha me deixado falando sozinha!!
Por que os livros de relações interpessoais, de PNL, enfim, de qualquer coisa que seja, não prevêem casos como este?? Porque tudo parece muito simples: faça blá, e o retorno será X!!!! X o cacete!!! X o baralho (preciso postar isso no Ow, baralho!! Kkkkkkk...)... e eu fiquei lá, pensando em minha próxima estratégia de approach...
8:03 – Cheguei, distribui bom dias bem humorados e sorridentes, sentei.
8:11 – Abri meus e-mails (para quê, oh, Meu Deus!!): e-mails do tipo: faça isso, faça aquilo, faça um pum com cheiro de repolho, não de feijão, e sei lá eu mais o que... tudo o que eu (obviamente) sei que tenho que fazer (afinal, não sou nenhuma retardada) e não tinha feito (obviamente) porque não estava na empresa trabalhando... mas isso não tirou meu humor... nããããoooo...
8:30 – Pequena reunião (sem olhar nos olhos ou me encarar, obviamente).
8:41 – Peguei um café fervendo naquela máquina ladra (meu roubou R$ 0,50!!), e quase joguei na fuça dela...
Resumindo: como manter a calma e usar as técnicas ninjas de “A arte da Guerra”, se meu auto-controle é uma piada???
Invejo muito as pessoas que conseguem se divertir com a arte de manipular os outros, que conseguem acordar e pensar: hoje eu vou fazer fulano limpar meus sapatos só com minhas técnicas de relações interpessoais... ou: hoje eu vou induzir meu chefe a me elogiar batendo os pé no mesmo ritmo com que ele bate a caneta na mesa... eu acho o máximo essas coisas, acho fantástico como algumas pessoas têm a calma e a inteligência necessária para entender relações e conseguir fazê-las darem certo... e eu tento... com todas as minhas limitações, eu realmente tento... mas não tenho o jogo de cintura necessário para rebolar e sair de uma situação dessas... cadê o meu jeitinho brasileiro?? Acho que foi passar férias permanentes na Europa... humpf!

Um comentário:

Aninha Leme disse...

Olha
pelo menos seu humor não está na faixa de Gaza tirando férias, senão... a porca ia torcer o rabo.
Com telação a Querozenezinha... interprete!
faça-se de louca como se não houvesse amanhã!
Deixe-a falando sozinha!!! é maior bom!!
Quando ela perguntar algo, responda algo sem nexo e sem combinar com a pergunta!! E faça-se de surpresa quando ela não entender o que vc disse... faça VOCÊ a cara blasé...
uau
grava tudo isso e depois me mostra!
beijosadorosuashistórias!! uhuuu