quarta-feira, 17 de março de 2010

Vagas Abertas!!

Descobri que o negócio da minha vida é abrir minha própria empresa!! É isso aí!! Uma empresa de funcionários-testes!!

De onde surgiu tamanha genialidade??

De qualquer pessoa que já conheci na vida!! Mas não tem, em absoluto, quem não reclame de seu chefe!! A não ser que não tenha chefe!! E então veio o grande insight: os chefes não sabem ser chefes (Uauuuuuuu!!! Tã-tã-tã-tããããã!!!)...

Ok, ok.

Admito que nem é a melhor sacada do ano!! Tudo bem!! Na verdade é a pior!! Mas é algo tão-tão-tão óbvio que ninguém nunca pensou seriamente a respeito. Quero dizer, é como a gravidade. Ela existe. Estamos aí. Não somos lançados do planeta simpático que gira a 30 quilômetros por segundo. Mas também não ficamos pensando a respeito!!

Resumindo o pensamento: chefe que não sabe ser chefe é óbvio e tem aos montes! E eles ficam por aí, largados no mundo, testando suas inabilidades nos pobres coitados que só querem trabalhar e ter sossego. Então, para privar essas pessoas boas que só querem paz na vida, vou criar uma empresa de funcionários-testes. Já que os chefes ficam testando durante uma eternidade como serem bons chefes (e nunca aprendem), nada mais óbvio do que terceirizar o funcionário que, ao invés de trabalhar, terá o intuito de agüentar as tentativas, ou melhor, os erros do respectivo chefe.

Parece redundante, esquisito, até mesmo sem sentido. Não sei vocês, mas é basicamente o que faço há 6 meses na minha empresa. Só que não me contaram na entrevista que essa seria minha função! Ao invés de contratarem o cara e contarem uma mentirinha (olhaaaa, você vai mexer com blá, x e afins!), o cara já sabe o que tá fazendo lá! Servindo de teste para o retardado que pensa que é chefe!

Agora, a vaga: precisa-se de boas almas com vocação para santo, para ser funcionário-teste.

Remuneração: a combinar.

Cursos oferecidos: Ioga, Tai-chi, Psicologia cognitiva, técnicas milenares de como-ter-paciência-com-imbecis, mantras indianos do tipo não-vou-te-mandar-tomar-no-cuuuuuuuu-auuumm!!

Interessados, enviar comentários para este blog.

2 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gabi, sensacional! Foi a idéia mais lógica que conhecí em toda a minha vida. Nem vou achar engraçado porque é verdadeiro o seu ponto de vista. É o que eu chamo de "ironia construtiva".
Vou contar prá você uma historinha que já contei para a proprietária do jegue (Aninha):
Eu tive um chefe (muito inteligente e capacitado) formado no ITA. O cara era sensacional. Era uma delícia trabalhar com ele. A gente só fazia o que era necessário e dava resultado. Em resumo, trabalhávamos para a empresa e para o nosso engrandecimento profissional. Se não dominássemos alguma coisa, imediatamente éramos encaminhados para um curso, pago pela empresa, e voltávamos plenos de sabedoria naquilo. Contudo, o cara era detestado por todos os outros chefes. Aqueles que são bem inseguros e vivem de politicagens. Então meu chefe teve que se adaptar, com muito jogo de cintura, a essas situações. Todas as adaptações que ele bolou eram super irônicas. Tive que participar de uma e achei genial:
" Meu chefe tinha uma reunião de gerência e não podia comparecer. Me chamou e disse que eu ia em seu lugar. Fiquei meio preocupado pois conhecia minha área e a reunião era departamental. Então...
Falei pro chefe: Do que se trata a reunião?
Ele me disse: Manoel, em reunião de gerentes é fácil participar. O nível é tão "alto" que você vai sentar-se à mesa de reunião e ficar quieto.
Quando começarem a falar, você faça cara de inteligente, enrugue a testa, finja estar prestando a atenção e entendendo tudo. Na realidade você deve ficar pensando em outras coisas mais interessantes.
Não leve nenhum papel nem caneta. O mais importante é não pegar nenhum papel da reunião. Se você pegar, vai sobrar para o nosso departamento a confecção de um levantamento inútil e trabalhoso, que não servirá para nada. Boa sorte!
Rí por dentro (porque meu chefe falava sério e levava isso a sério). Fui para a reunião e fiz exatamente o combinado. Minha participação foi considerada brilhante, kkk!
Aprendi isso quando estava formado há 2 anos e sempre usei nas empresas que trabalhei, hehehe!
Conclusão: Hoje tenho uma firma de assessoria em informática (apesar de ser engenheiro mecanico). Não tivesse eu essa firminha, mandaria meu curriculo para a sua apreciação.
Putz! Escreví prá caramba! Nem vou revisar os "erros de teclado".
Beijos construtivos.
Manoel.

AL. disse...

Gabitus
estava conversando com uma amiga muito mais experiente do que eu no ramo profissional sobre o que realmente importa para crescermos profissionalmente e não conseguimos chegar muito bem a uma conclusão satisfatória.
Às vezes uma bunda pode ajudar, às vezes empatia com o tal chefe, às vezes conhecimentos muito aprofundados sobre um tema técnico...
isso tudo não garante que teremos skills gerenciais, ou melhor, não assegura que seremos bons gestores.
Gerir pessoas é bem difícil. Eu mesma me desentendo com amigos, familiares, não tenho paciência...
Mas na hora que estamos falando de trabalho, nossos subordinados têm de ser tratados com profissionalismo, ética e tudo o mais que eles merecem.

Só que nessas, a gente que ainda é subordianda... pasta na mão dos trouxas idiotas.
é foda.

tudo isso pra dizer o que: tem muito funcionário idiota tb, viu? não é só gestor, não. rs
haja visto o exemplo lá no meu escritório: funcionário idiota + mau gestor= cruz credo.

besoss